Caminho do Itupava

    
    
    
    
    

:: Localização
:: Mapa Caminho
:: Roteiro Recomendado
:: Equipamentos
:: Camping
:: Estrutura Turística


:: Anhangava
:: Flora e Fauna
:: Calçamento
:: Casa do Ipiranga
:: Estrada de Ferro
:: Véu de Noiva
:: Garganta do Diabo
:: Santuário do Cadeado
:: Marumbi
:: Salto dos Macacos
:: Porto de Cima
:: Prainhas
:: Bóia Cross
:: Morretes
:: Barreado


:: Relatos Históricos
:: Estatísticas
:: Arqueologia








FOTOS
Zig Koch

TEXTOS
Julio Fiori

WEB
Hilton Benke








FOTOS
Zig Koch

TEXTOS
Julio Fiori

WEB
Hilton Benke
      O Caminho    |     Roteiro    |     Atrações    |     História    |     Contato    

Roteiro Recomendado


 

Caminho do Itupava Chegue à Borda do Campo bem cedo, de preferência antes do sol, e percorra o primeiro trecho do caminho ainda na penumbra que antecede o amanhecer. É quando os pássaros acordam e entoam o seu canto enchendo a mata de melodia. Ande atento e silenciosamente que poderá ver criaturas furtivas no chão da floresta ou nas árvores.

Depois de passar pelo morro do Pão de Loth começa a descida da serra e a esquerda fica a Pedra do Descanso onde existe uma pequena gruta com uma fonte de água gelada e cristalina. O calçamento começa em seguida e daqui pra frente tome muito cuidado pra não escorregar. Um bastão pode ajudar bastante.

Nas ruínas da Casa do Ipiranga, antes de cruzar os trilhos e prosseguir no caminho, tome a direita e acompanhe os trilhos por 300 metros até a pequena central hidroelétrica. Vai encontrar uma linda cachoeira e uma grande piscina em meio a muitas ruínas interessantes.

Entre a Casa do Ipiranga e a descida do Cadeado, o caminho apresenta algumas subidas e descidas e reserva algumas surpresas. Uma bonita cachoeira e trechos de trilha bem largo com o calçamento bem definido contrastam com alguns trechos de árvores caidas e um pouco de lama. A mata atlântica ao redor torna-se exuberante.

A meio caminho parte uma trilha a esquerda para a estação Véu de Noiva passando sobre a barragem da represa. Então, não se descuide do calçamento a menos que deseje trocar de passeio. Depois de cruzar um arroio bem perto da grande cachoeira, inicia-se a subida em direção a passagem do Cadeado e a esquerda se abre uma janela com vistas ao Pico do Diabo.

Do alto do morro o caminho se precipita em inclinados e escorregadios zig-zags, onde é quase impossível não escorregar, até a famosa passagem do Cadeado aberta à pólvora pela expedição do Tenente Coronel Sampayo, quando se mudou em definitivo a trajetória do caminho. A seguir aparece uma escadaria de ferro, os trilhos da ferrovia e o Santuário de Nossa Senhora do Cadeado.

A imagem de Nossa Senhora foi retirada há muito tempo, mas de cima do mirante se tem a mais espetacular vista do conjunto Marumbi - a montanha azul - e subindo poucos metros pelos trilhos se encontra água gelada vertendo do paredão. Outros fregueses assíduos do lugar são os serelepes - pequenos esquilos - e o caminho continua morro abaixo por outra série de zig-zags até o Rio São João.

Entre o Rio São João e o Taquaral havia uma grande clareira com muitas edificações onde era cobrado o pedágio e procurando um pouco se encontra muitos cacos de telha e restos de fundações espalhados pelo chão. O caminho acompanha o rio Taquaral - antigo Itupava - e nos revela uma última surpresa, a enorme raiz em forma de réptil que atravessa a trilha, é o "Lagarto".

O trecho restaurado termina na estrada, a direita se sobe para a estação de Engenheiro Lange e para o Marumbi, onde existe o camping, porém o caminho continua a esquerda, descendo a estrada e o calçamento aflora em alguns trechos.

Alguns metros antes do centro de visitantes parte a trilha para o Salto dos Macacos, onde se atravessa o rio com o auxílio de uma ilha, e mais adiante começam as Prainhas junto a uma ponte pênsil e alguns bares. Aqui sempre é possível embarcar numa das kombis que trazem os praticantes de boiacross e encurtar a pernada até Porto de Cima.

Em Porto de Cima há tempo de sobra pra tomar um refrescante banho de rio ao lado da ponte de ferro e depois se reidratar com o inusitado "suco de banana" do Templo dos Licores, na entrada da praça da igreja.

Para chegar a Morretes o mais barato é pegar uma carona ou contratar uma das kombis de bóias, mas sempre há a possibilidade do táxi, mas não esqueça, o último ônibus para Curitiba parte as 21h10min, boa viagem.






AltaMontanha.com :: Página Inicial :: O Caminho :: Atrações
História :: Roteiro Recomendado :: Localização
Como Chegar :: Equipamentos :: Contato

® Portal AltaMontanha.com ::: Todos os direitos reservados