Caminho do Itupava

    
    
    
    
    

:: Localização
:: Mapa Caminho
:: Roteiro Recomendado
:: Equipamentos
:: Camping
:: Estrutura Turística


:: Anhangava
:: Flora e Fauna
:: Calçamento
:: Casa do Ipiranga
:: Estrada de Ferro
:: Véu de Noiva
:: Garganta do Diabo
:: Santuário do Cadeado
:: Marumbi
:: Salto dos Macacos
:: Porto de Cima
:: Prainhas
:: Bóia Cross
:: Morretes
:: Barreado


:: Relatos Históricos
:: Estatísticas
:: Arqueologia








FOTOS
Zig Koch

TEXTOS
Julio Fiori

WEB
Hilton Benke








FOTOS
Zig Koch

TEXTOS
Julio Fiori

WEB
Hilton Benke
      O Caminho    |     Roteiro    |     Atrações    |     História    |     Contato    

Boia-cross


 

A prática começou nas Prainhas juntamente com os piquiniques a beira do rio, moda importada dos americanos logo depois da segunda grande guerra. Montavam em velhas câmeras de ar para boiar nos remansos e acabaram descobrindo o prazer de deixar-se levar pela correnteza.

O percurso clássico de três quilômetros começa nas Prainhas, junto à ponte pênsil e termina depois de duas horas debaixo da ponte de ferro em Porto de Cima. Passa por muitas corredeiras leves, duas bem perigosas e alguns poços ideais para o banho.

O período ideal para esta prática começa em outubro e vai até maio, quando chove bastante nas cabeceiras e o Rio Nhundiaquara se apresenta com bom volume de água.

No início cada um precisava trazer a própria bóia, mas com aumento da prática surgiram em Porto de Cima verdadeiras empresas que alugam estes rudimentares equipamentos acompanhados de capacetes e coletes salva-vidas. Também existem vans para transporte dos banhistas até o ponto de largada e que freqüentemente retornam com os cansados caminhantes que descem da Serra do Marumbi ou o Caminho do Itupava.



Boia Cross

Boia Cross

Boia Cross





AltaMontanha.com :: Página Inicial :: O Caminho :: Atrações
História :: Roteiro Recomendado :: Localização
Como Chegar :: Equipamentos :: Contato

® Portal AltaMontanha.com ::: Todos os direitos reservados